Aquelas séries que amamos, mas que infelizmente perderam o rumo :/


Como seriador árduo, eu acabo me apegando à muitas séries. E mesmo quando elas estão ruins, acabo não conseguindo largá-las e fico nesse relacionamento sofrido com elas. Afinal, todos nós temos aquelas produções que começaram tão boas, mas quando começam a ficar ruins não conseguimos abandonar. Então, vou listar aqui três séries que começaram muito boas, mas perderam seu rumo no meio do caminho.

How to get away with murder




Criada por Peter Nowalk e produzida por Shonda Rhimes, ‘How to get away with murder’ já chamava atenção antes mesmo de estrear. Em sua primeira temporada se mostrou uma série promissora. Tinha Viola Davis no centro do elenco, bons mistérios e uma edição rápida que prendia o telespectador durante todo o episódio. Seu primeiro ano foi excelente, o mesmo não posso dizer dos posteriores.

Sua segunda temporada veio com um mistério fraco e previsível. Começaram a colocar sub tramas pouco chamativas e dar rumos terríveis para alguns personagens. Aquela série tão promissora estava começando a se perder em sua proposta. Mas, a terceira temporada ainda conseguiu surpreender. O mistério foi baseado num livro de Aghata Christie e ao chegar fatídico episódio 9, a série alcançou novamente seu ápice. Talvez seu último momento de grandeza.

O final de seu terceiro ano foi pavoroso. Então, nós, fãs dessa carismática produção da Shondaland, esperávamos que a quarta temporada trouxesse o brilho perdido. Não aconteceu. A morte de um importante personagem na terceira temporada contribuiu para que a trama principal não fluísse direito. Além disso, o excesso de sub tramas e as reviravoltas desinteressantes em torno de alguns personagens contribuíram para uma temporada mediana.

O terrível gancho deixado para uma quinta temporada não chamou nenhum pouco a minha atenção. Porém, como deve ser o último ano da série, irei acompanhar pra ver o desfecho.

 

Prison Break




Talvez essa tenha sido a primeira série que maratonei. A história da fuga da prisão arquitetada por Michael Scofield para livrar seu irmão, que foi condenado injustamente à pena de morte, fez uma ótima primeira temporada. A cada episódio que passava, nosso protagonista tinha que elaborar novos planos, o cerco fechava cada vez mais e tinha muitos outros obstáculos dentro da penitenciária. Por mais que não fosse perfeita, o primeiro ano de ‘Prison Break’ chamou atenção pela narrativa bem construída e personagens carismáticos.

Sua segunda temporada abaixou o nível, mas ainda era bem interessante e cumpria muito bem o que prometia. Novos personagens foram inseridos e a trama só foi tomando proporções cada vez mais grandes. Porém, foi nessa segunda temporada que sua ruína começou.

A terceira e quarta temporadas foram bem... Estranhas. Envolveram uma nova prisão, criaram uma conspiração, apareceram personagens que não agregaram nada de positivo à trama e tudo começou a descarrilhar. Uma série com um potencial tão bom, mas que caiu em armadilhas baratas de roteiro, e que ao fim do quarto ano, nos despedíamos daqueles personagens com um peso no coração, mas com um sentimento que aquilo já deveria ter acontecido.

Recentemente a série ganhou uma quinta temporada. Larguei logo no terceiro episódio, pois a trama não era nada atraente e o roteiro era pavoroso. E o pior: Vai ter uma sexta temporada.

 

The walking dead




Provavelmente ‘The walking dead’ é a série mais montanha-russa que temos hoje na TV. Não sabe o que é série Montanha-russa? Esse foi um termo cunhado por mim pra falar sobre aquelas séries que tem momentos muitos bons, e momentos muito ruins. TWD já foi a série de maior audiência nos EUA, e por aqui também não tinha números ruins. Mas, um excesso de más decisões levou a série para seu pior momento.

Sua primeira temporada foi pequena, desenvolveu tudo muito bem e foi bem redondinha. Ótima. Porém, seu ano seguinte foi um exemplo de o que não fazer numa série do tipo. Ok, TWD é uma série sobre pessoas num apocalipse zumbi, e não de pessoas querendo exterminar os zumbis. Mas, criar tramas extremamente lentas com personagens desinteressantes não é trabalhar o elemento humano.

Suas temporadas posteriores sofreriam ainda mais com isso. Aumentaram os episódios e parece que não investiram nada em roteiro, pois nada de inovador foi criado. Tramas repetidas, personagens forçados, arcos mal desenvolvidos e um nível cada vez mais baixo. Essa é a ‘The walking dead’ dos últimos anos.

A série é perspicaz em criar suspense e ganchos, mas isso não sustenta uma narrativa. Um exemplo é a sétima temporada, que foi detentora do melhor episódio da série, mas ao mesmo tempo se tornou o pior ano da produção. Sua audiência cai cada vez mais, e parece que seus roteiristas e produtores não querem se mexer pra mudar o status atual. Eu mesmo já larguei e não pretendo voltar a assistir. Boa sorte pra quem continua nesse carrinho.

A série está em sua maior descida na montanha-russa.