Um curta, um longa e uma série.


Todos já passamos horas procurado algo pra assistir na Netflix. O pior é quando passamos tanto tempo tentando decidir o que ver, e acabar não vendo nada. Então, venho aqui hoje para dar três dicas que eu considero muito boas. Um curta-metragem animado, um longa de suspense e uma série.


A casa dos pequenos cubinhos (Tsumiki no ie, 2008)




Esse curta animado foi o ganhador do Oscar em sua categoria em 2009. Criado por Kunio Kato, ‘A casa dos pequenos cubinhos’ conta a história de um homem que vive numa cidade que está submersa, e toda vez que o nível da água sobe, ele tem q fazer um andar de tijolos a mais. Porém, um dia seu charuto cai na água e recuperá-lo pode trazer antigas memórias e sensações.

O acerto começa na simplicidade da animação unida à beleza estética desse curta. Tudo isso junto à história bonita e envolvente, nos faz ficarmos presos ali durante seus 12 minutos acompanhando a angústia e tristeza daquele homem. O maior acerto desse filme é tratar de assuntos que uma hora ou outra todos teremos que lidar. Fala sobre lembranças, saudade e nos faz refletir em como devemos aproveitar todos os momentos.

Bonito e emocionante, ‘A casa dos pequenos cubinhos’ é uma dica pra quando você quer ver algo legal e emocionante num curto período de tempo.

 

Um contratempo (Contratiempo, 2016)




Após acordar ao lado de sua amante assassinada em um quarto de hotel, um empresário contrata uma advogada para descobrir a razão de estar sendo o suspeito de um homicídio, e quem poderia fazer isso com ele.

Esse filme espanhol me ganhou logo pela sinopse. É simples e nos deixa curiosos quanto a trama. E que filme!

É um longa com uma boa direção e fotografia, mas além disso, ele também é agraciado pelo ótimo roteiro. Ao relembrar acontecimentos passados, logo é mostrado que o protagonista não é um homem bom. A trama não é complexa, mas conta uma história que mostra uma sequência de acontecimentos muito bem desenvolvidos e amarrados, além de ter um final daqueles de explodir a cabeça.

‘Um contratempo’ não é perfeito, mas é bem sucedido em apresentar e resolver um mistério cheio de tensão e expectativa. Tem bons personagens, uma boa estética e um bom roteiro que não se prende à clichés e acaba entregando um ótimo filme.

 

Legion (2017)




Eis aqui a melhor série de herói da atualidade.

David Haller passou a vida toda achando ter problemas psicológicos por causa de suas visões perturbadoras. Porém, depois de um incidente ele começa a juntas a peças e percebe que talvez tenha poderes especiais.

Essa série é criada por Noah Hawley, mesma mente por trás de ‘Fargo’, uma das melhores séries da atualidade. Noah ousa em tentar o novo, se desprendendo do modelo das séries da CW ou até da Netflix/Marvel. Em ‘Legion’ temos uma coisa mais psicodélica quando se trata de estética, alguns planos são de tirar o fôlego e há cenas que assistimos e pensamos: “CA*****!”.

A trama é bem desenvolvida ao longo dos 8 episódios da primeira temporada, há personagens bem interessantes e bem aprofundados. Além, é claro, do fator ação, afinal, a série se passa no universo dos X-men. As sequências de ação são filmadas de modo criativo e que sempre leva ao fator psicodélico, os efeitos também não deixam a desejar, e ao mesmo tempo que aquilo tudo é estranho, também acaba se tornando ótimo.

Acho que a série se perde um poucos nos episódios finais. Talvez por causa da necessidade de deixar ganchos para uma segunda temporada. Mas, ‘Legion’ é uma ótima série com um potencial enorme. Diferente em seu modo de contar história e de mostrá-la, essa produção acaba se tornando uma excelente pedida para os fãs de heróis, e para aqueles que buscam uma série curta, divertida e destoante das demais.

A 2ª temporada de ‘Legion’ estreia nos EUA em 03/04 com mais 10 episódios.