A Reflexão sobre o “ser palhaço” em PAGLIACCI


 

"Senhoras e senhores! Na peça que estão prestes a assistir, o autor quer capturar as velhas tradições e mostrá-las novamente.
Mas ele não pretende contar-lhes o que estão sempre acostumados a dizer.
Não! Este autor quer mostrar-lhes um verdadeiro pedaço de vida. A verdade foi sua inspiração. Verão o amor como o povo real ama. Verão os trágicos resultados do ódio e espasmos da dor real.
Escutarão gritos de raiva real e risos cínicos.
Assim, não devem pensar em nossos pobres truques teatrais.
Devem 
pensar em nossas almas,
pois somos pessoas de carne e osso - e 
neste mundo solitário respiramos o mesmo ar que vocês.”


Tonio, Prólogo da ópera “O Palhaço”


 

O documentário PAGLIACCI celebra - de maneira poética - o que é ser palhaço. O filme aborda questões filosóficas e simbólicas sobre a necessidade do homem de rir de si mesmo. Em uma mescla sensorial e emocionante, o longa parte do que há de mais humano e verdadeiro: o riso. Sua estreia está prevista para o dia 26 de abril.

O trabalho tem a direção composta por Chico Gomes, Julio Hey, Luiza Villaça, Pedro Moscalcoff e Luiz Villaça que abraçaram o desafio de construir o significado de ser palhaço. Pra quem não sabe Domingos Montagner foi artista circense. Ele e Fernando se conheceram no Circo Escola Picadeiro, em São Paulo, e logo formaram uma dupla de palhaços que levaram às ruas recriações e números circenses.

Desde o falecimento do amigo e sócio Domingos Montagner, em 2016, Fernando conduz o processo da construção de uma versão teatróloga e circense da ópera homônima pela primeira vez sem a presença física de Domingos. O documentário narra a construção do espetáculo desde os primeiros ensaios até uma montagem já mais madura, duas semanas após a estreia. Os momentos iniciais da preparação, a ansiedade, o nervosismo e os últimos ajustes estão em pauta.

 

[gallery type="slideshow" ids="2283,2284,2285,2281"]