A inexplicável forma que um Cavalo Narcisista e decadente pode nos trazer empatia e reconhecimento.


O seriado Bojack Horseman se passa em um mundo onde animais e humanos vivem juntos exatamente da mesma forma, até porque todos animais são uma espécie de humanoides. Nesse mundo de bichos humanoides que se vestem, comem, andam e até mesmo se relacionam como humanos, temos nosso protagonista, um cavalo alcoolatra decadente que foi estrela nos anos 90 em Hollwoo (cidade ficcional que basicamente é exatamente igual a Hollwoody que já conhecemos) com sua sitcom Horsin’ Around. Atualmente seu nostálgico seriado, já não existe, sendo completamente esquecido. Consequentemente o mesmo acontece com Bojack, que acaba sendo obrigado a apelar para outras formas de se manter nos holofotes.

Contando assim a animação da Netflix até parece ser simples, porém vai muito além. Não é só um cavalo ex famoso vivendo sua vida de ex famoso. Os personagens mesmo que ironicamente sendo animais conseguem transmitir genialmente todo o lado humano e filosófico da vida.


Porque Genial?


Vamos começar falando do Personagem Principal da trama. Bojack vive uma vida que podemos considerar de luxo e mordomia, mesmo esquecido pela mídia. Seu grande sucesso nos anos 90 pode proporcionar essa vida de alto patamar para ele, porém ele simplesmente não se sente feliz. Lendo assim pode-se confundir que seja por conta de não ser mais uma atual celebridade, mas na verdade ele nunca esteve realmente feliz. O personagem é retratado vivendo num constante vazio existencial, buscando felicidade em coisas como sexo, drogas e prazeres momentâneos.

Esses métodos são usados como uma válvula de escape para esquecer a banalidade e falta de sentido na vida de acordo com o Cavalo. Esse fator no personagem é onde habita a maior parte niilista e Existencialista de todo seriado. Mesmo você tendo tudo que a sociedade julga importante para se ter uma boa vida, mesmo sendo aceito socialmente, mesmo tendo amigos ou seja la o que for necessário, a real felicidade não é obtida, pois você simplesmente não sabe como ou onde encontra-la. Isso é a própria Identificação da personalidade de Bojack Horseman.

É impressionante como pode ser lindo e triste ao mesmo tempo toda a temática genial dessa Sitcom do canal de Streaming Netflix. Pois mesmo o Niilismo e Existencialismo estando imposto de forma bem dura e complexa em todo enredo, no fim ao se assistir, sente uma mensagem de que as coisas podem melhorar, podendo aproveitar o simples, buscando a felicidade nele e não no que o mundo estereotipa dizendo trazer felicidade.


Sobre os Coadjuvantes


Na serie temos também outros personagens que estão em foco na trama, a maioria animais humanoides tambem, claro. Podemos destacar alguns deles, como Todd, um humano normal que é possível dizer ser quase o melhor amigo de Bojack. Princesa Caroline, uma gata ex namorada e agente do cavalo nos seus tempos de glória. Mr. Peanutbutter o famoso amigo inconveniente que também foi uma estrela nos anos 90 na TV ao lado de Bojack e uma das mais relevantes na primeira temporada Diane, escritora da biografia de Bojack.

Alguns deles:


Da mesma forma que Bojack tem alguns traços que podem trazer reconhecimentos e reflexões de quem assiste, os coadjuvantes também traz o mesmo. Como Princesa Caroline, ela se força a amar sua profissão, vivendo 100% para o trabalho. Por incrível que pareça até funciona pois ela sabe que é boa, mas ao mesmo tempo ela sabe que o trabalho pode destruí-la, fazendo dela uma pessoa pior para seu circulo social e afasta-la de todos. Convenhamos que o mesmo é muito visto no nosso mundo também.

Todd Chavez mesmo sendo um dos mais carismáticos e cômicos, também é um dos mais melancólicos se analisado a fundo. O garoto mora com Bojack dormindo no sofá. Porém vive como um qualquer, pois o mesmo não se da relevância nem para si mesmo. Todd não tem família apenas o Cavalo que o deixa viver com ele. Chavez não sabe seu lugar no mundo ele apenas está lá vivendo um dia após o outro. É possível ver essas afirmações em cima do personagem quando num momento da serie ele descobre ser assexuado. Esse fato não muda em nada, nem negativo ou positivamente sua vida, é apenas algo.

Os outros dois coadjuvantes que tem tamanha notoriedade, são Mr Peanutbutter e Diane. O personagem Peanutbutter é a demonstração clara que mesmo dentre tudo que pode da errado algo na vida ainda é bom. O positivismo extremo é o que define o personagem cachorro humanoide. Diane é a mulher que sabe seu lugar, ativista e luta pelos direitos de classes e gêneros. A personagem não é só rotulada por esses elementos. Ela tem todos os aspectos de uma mulher tentando ser forte o tempo todo e ao mesmo tempo alguém vista em torno da sociedade machista retratada de uma forma bem lúdica. Todos assuntos com grande necessidade de serem debatidos. Um exemplo é o tema aborto visto ao decorrer da serie.


Terminou de ler aqui já sabe né?!


Por fim Bojack Horseman é uma serie genial e humana como dito nesse artigo. Aborda de forma profunda assuntos muitas vezes considerados tabus, porem ainda assim contada de forma simples e divertida. Seria o famoso rir da desgraça sabe, mas refletindo ao fim do dia certos assuntos que viu na Sitcom.

Atualmente se encontra na quarta temporada, com uma quinta engatilhada para esse ano ainda, todas com doze episódios cada. Essa é uma serie que não tem desculpa para acompanhar. Porque geralmente, todos perguntam quando você indica algo “Tem no Netflix?” a resposta é na lata “Ela é do Netflix”. Então agora é só entrar na sua conta e começar a ver essa obra incrível.