Homem-Formiga e a Vespa traz a melhor comédia do MCU.


Homem-Formiga e a Vespa acerta em cheio na comédia sem perder o ritmo. A continuação segue o filme anterior e os acontecimentos de Capitão America: Guerra Civil e traz satisfação a quem assiste.

Homem-Formiga e a Vespa - Crítica

Após ter ajudado o Capitão América na batalha contra o Homem de Ferro na Alemanha, Scott Lang (Paul Rudd) é condenado a dois anos de prisão domiciliar, por ter quebrado o Tratado de Sokovia. Diante desta situação, ele foi obrigado a se aposentar temporariamente do posto de super-herói. Restando apenas três dias para o término deste prazo, ele tem um estranho sonho com Janet Van Dyne (Michelle Pfeiffer), que desapareceu 30 anos atrás ao entrar no mundo quântico em um ato de heroísmo. Ao procurar o Dr. Hank Pym (Michael Douglas) e sua filha Hope (Evangeline Lilly) em busca de explicações, Scott é rapidamente cooptado pela dupla para que possa ajudá-los em sua nova missão: construir um túnel quântico, com o objetivo de resgatar Janet de seu limbo.

O filme vem com um foco grande na comédia e faz você dar muitas risadas durante a sessão. Porém, a comédia não tira o equilíbrio do filme, temos ótimas cenas de ação, ótimos efeitos especiais e o filme nos faz torcer para que tudo termine bem.

Homem-Formiga e a Vespa - Crítica

O elenco se encarregam do trabalho e mandam muito bem nas atuações e te fazem conectar com cada um deles é entender os seus motivos por cada decisão.

Assim como o Homem-Formiga a Mulher Vespa vem com grande importância no filme. Independente e boa de briga, Vespa conquista seu espaço na trama seja para conseguir o que quer ou até mesmo em seu “romance” mal resolvido com Scott.

Um filme pra todas as idades e sim, tem uma cena pós-crédito que te deixa de boca aberta! E só te faz pensar em uma única coisa:

PRECISO DA SEQUÊNCIA DOS VINGADORES URGENTE!


Acompanhe o Pipocando Notícias ♥


 – Facebook
– Instagram