Presente no catálogo da Netflix, 'Desaparecida' é um suspense sem identidade e pouco criativo.



De vez em quando o cinema argentino nos entrega bons filmes. Em 2009 'O segredo de seus olhos' levou o tão badalado Oscar de melhor filme estrangeiro e levou os holofotes para o país. Recentemente tivemos boas surpresas como 'Relatos Selvagens' e 'Neve Negra'. E agora a Netflix também começou a investir o país sul-americano. Recentemente teve a série 'Edha' e agora o suspense 'Desaparecida', um longa que não tem nada de interessante para mostrar.

5 garotas vão em uma excursão escolar na região da Patagônia argentina e uma delas desaparece. 13 anos depois, uma delas se torna detetive e resolve reabrir o caso afim de descobrir o paradeiro de sua amiga. Entretanto, ao se envolver nesse caso, ela coloca a própria vida em risco ao confrontar inimigos poderosos.

Dirigido por Alejandro Montiel, o filme usa essa premissa como base e pouco se aprofunda em seu próprio potencial. Poderia tocar em diversos assuntos e engrandecer a trama, mas acaba no lugar comum. Os quase 100 minutos de filme se tornam longos e cansativos, coma apenas poucas cenas que valem a pena.

História estranha com personagens esquisitos.



O roteiro se divide em dois núcleos: passado e presente. Mas, diferente da maioria das produções do estilo, um não contribui para o outro em termos narrativos. Um exemplo: Em 'Neve Negra' temos constantemente flashbacks, e eles conversam com o momento em que a história está situada no tempo atual. Além de ser criativo, também serve para gerar mas tensão em cima dos acontecimentos vindouros.


Luisana Lopilato dá vida à personagem protagonista, e mesmo tendo um bom início vemos que o tom da atuação continua o mesmo durante todo o filme. O restante do elenco também não dão muito de si. O filme acaba ficando ainda mais sem graça quando deveria ter mais exigência das atuações. E não podemos falar das atuações sem falar dos personagens em si, já que têm a profundidade de um pires, e não dão sinal de uma história além do que é mostrada no filme.


Os antagonistas até que não são ruins, mas funcionariam bem melhor em um filme à là 007. Eles são caricatos, excêntricos e suas atitudes lembram filmes cliché de espionagem. Conforme a trama vai avançando, eles são os únicos que ganham uma tridimensionalidade. Mas a falta de carisma não os torna memoráveis.



Plot twists e previsibilidade.




O terceiro ato de 'Desaparecida' tinha tudo para ser bom, mas começou a errar por causa de clichés. A trama se torna previsível e rola um plot twist que não pega ninguém de surpresa. Mortes e revelações inesperadas acontecem num espaço de 20 minutos e parece que quiseram fazer as únicas escolhas criativas no final.

'Desaparecida' é o tipo de filme que vemos despretensiosamente e no fim nos arrependemos de ter darmos play. Nada funciona muito bem, talvez apenas a fotografia, que utiliza bem os cenários de neve, mas nada que enriqueça a história.

Com uma direção sem muita imaginação, um roteiro morno e atuações fracas, 'Desaparecida' é apenas mais um filme fraco na conta da Netflix. Talvez outros profissionais tivessem uma visão que poderia dar mais graça o filme. No fim, temos uma trama pouco aproveitada e sem muita novidade no gênero de suspense. Esse é daqueles filmes para assistir com os amigos que conversam durante a sessão.

'Desaparecida' está disponível na Netflix.