Rambo Até o Fim é um prato cheio para os amantes do gênero!






Após quase 40 anos entre Rambo - Preparado para Matar e Rambo - Até o Fim, temos Sylvester Stallone, que se despede de mais um de seus icônicos personagens. Em Creed II Stallone, já começou a preparar sua aposentadoria, e agora também dá adeus a Jhon Rambo, depois de uma franquia que já tinha quatro filmes.





O filme usa da nostalgia para os fãs da franquia, com um roteiro que não exige profundidade, apesar de querer mostrar as consequências psicológicas em Jhon depois de longos anos nas guerras. Agora aposentado, ele está isolado em um rancho com sua amiga Maria (Adriana Barraza) e Gabrielle (Yvette Monreal), neta de Maria, a coisa mais próxima de uma família que ele tem.





Rambo Até o Fim - Crítica




As motivações para que o filme tenha o seu ápice e aconteça aquelas cenas que são comuns para os amantes desse gênero, é aquele clichê da adolescência inconsequente. Gabrielle vai ao México encontrar seu pai, acaba sendo envolvida em um tráfico de mulheres e prostituição, que nos leva a outro clichê sobre as questões entre México e EUA.





O fato de que Gabrielle ser a personificação da "inocência", que para mim, é o ápice da burrice, onde agora Rambo precisa salvá-la, e ao ter consequências inesperadas é movido pela vingança, demonstra a fraqueza do roteiro (não que a franquia seja dotada de roteiros incríveis). É claro, além de também reforçar o esteriótipo da masculinidade onde Rambo apesar de todos os traumas ainda ser um homem turrão, que não chora ou demonstre fraquezas.





O filme nos apresenta cenas absurdas, e muito boas, de ação e muito sangue, com sequências de mortes e desmembramentos, apesar de vermos isso de uma forma um tanto diferente dos outros filmes; imagino que seja por conta da idade de Stallone, que já está com seus 73 anos, e não está mais em seus anos de glória para fazer cenas muito exigentes fisicamente.





O longa se encerra com um monólogo de Rambo, e apesar de entendermos que esse seja o fim, ainda deixa uma abertura sugestiva. Em cartaz desde 19 de Setembro, Rambo é o filme nostálgico e uma boa sugestão para quem gosta de boas sequências de ação, muita luta e uma despedida de uma franquia de muitos anos.









Confira nossas críticas!





Acompanhe o Pipocando Notícias ♥





Facebook





Instagram





YouTube