Netflix e ONU Mulheres lançam coleção especial para o Dia Internacional da Mulher

Netflix e ONU Mulheres lançam coleção especial com curadoria de 55 mulheres pioneiras no entretenimento


Coleção “Porque ela assistiu” celebra o poder de contar histórias neste Dia Internacional da Mulher

A Netflix e a ONU Mulheres lançaram hoje “Porque ela assistiu” – uma coleção especial de séries, documentários e filmes na Netflix para celebrar o Dia Internacional da Mulher. A coleção, que estará disponível o ano todo, tem a curadoria de estrelas femininas que atuam à frente e atrás das câmeras. Entre elas estão Sophia Loren, Janet Mock, Salma Hayek, Yalitza Aparicio, Millie Bobby Brown, Laurie Nunn, Lana Condor, Ava DuVernay e as brasileiras Petra Costa, Giovanna Ewbank, Pathy Dejesus, Bruna Mascarenhas, Juliana Vicente e Andrea Barata Ribeiro.

Essa colaboração tem por objetivo responder ao desafio de contar histórias sobre o universo feminino e apresentar as mulheres em toda sua diversidade. É sobre tornar o invisível visível e provar que apenas por meio da representação e da inclusão totais das mulheres nas telas, atrás das câmeras e em nossas narrativas, a sociedade vai de fato florescer”, disse Anita Bhatia, diretora-executiva adjunta da ONU Mulheres.


Netflix e ONU Mulheres lançam coleção especial para o Dia Internacional da Mulher


Criada para o Dia Internacional da Mulher, cujo tema oficial deste ano é “Eu sou a Geração Igualdade: Pelos direitos das mulheres”, a coleção celebra as histórias que inspiraram as mulheres que nos inspiram. Esses filmes, séries e documentários – que vão de Inacreditável, Democracia em Vertigem e Coisa Mais Linda, a Orange is the New Black, Lionheart e Sex Education – iniciaram debates importantes, muitas vezes difíceis, que desafiam o modo como encaramos o mundo.

Ter um mundo em que todos são de fato representados é o significado de uma democracia de verdade. E poder nos ver nos permite vislumbrar possibilidades infinitas, para nós e para os outros”, disse a atriz Laverne Cox. “Orange is the New Black foi o primeiro projeto em que me senti genuinamente empoderada como mulher, graças à mulher no comando da série, Jenji Kohan, e as muitas mulheres na direção, no roteiro, na produção e na equipe, bem como às histórias que giravam ao redor de mulheres diversas de uma forma jamais vista. A série criou um espaço e uma plataforma para mim como mulher negra abertamente trans que abriu espaço para outras mulheres abertamente trans de todas as raças serem realmente vistas em nossa profunda humanidade”.




A parceria da ONU Mulheres e da Netflix em apoio à campanha da Geração Igualdade ocorre no vigésimo-quinto aniversário da Declaração e Plataforma de Ação de Pequim, reconhecida como uma agenda visionária para os direitos da mulher. Esperamos que ela espalhe a mensagem de que fazer valer os direitos da mulher significa colocar mulheres em destaque, na busca pela igualdade de gênero.


Confira abaixo quem são as mulheres que fizeram a curadoria da coleção "Porque ela assistiu":


Alejandra Azcárate (Colômbia) - Vis a Vis
Alice Wu (Estados Unidos) - Frances Ha
Andrea Barata Ribeiro (Brasil) - Sex Education
Anna Winger (Alemanha) - Unbreakable Kimmy Schmidt
Ava DuVernay (Estados Unidos) - Uma Dobra no Tempo
Barbara Lopez (México) - Scandal
Beren Saat (Turquia) - Bird Box
Bruna Mascarenhas (Brasil) - Quien Te Cantará
Cecilia Suárez (México) - História de um Casamento 
Chris Nee (Estados Unidos) - Orange is the New Black
Christian Serratos (Estados Unidos) - goop lab com Gwyneth Paltrow
Cindy Bishop (Tailândia) - Anne with an E
Elena Fortes (México) - Atlantique
Esther Acebo (Espanha) - Chef's Table: Bo Songvisava
Fadily Camara (França) - Como Defender um Assassino
Fanny Herrero (França) - Je Parle Toute Seule
Fatima Abu Bakar (Malásia) - Bebês em Foco
Francesca Comencini (Itália) - What Happened, Miss Simone?
Giovanna Ewbank (Brasil) - Coisa Mais Linda
Hanna Ardéhn (Suécia) - O Silêncio dos Inocentes
Hazar Erguclu (Turquia) - House of Cards
Hend Sabry (Egito) - Joan Didion: The Center Will Not Hold 
Ida Elise Broch (Noruega) - RuPaul's Drag Race
Janet Mock (Estados Unidos) - Paris Is Burning
Joyce Cheng (Hong Kong) - Queer Eye
Juliana Vicente (Brasil) - Olhos que Condenam
Kemi Adetiba (Nigéria) - King of Boys 
Kiara Advani (Índia) - Quatro Histórias de Desejo
Lali Espósito (Argentina) - Um Lugar Chamado Notting Hill
Lana Condor (Estados Unidos) - Grace and Frankie
Lauren Morelli (Estados Unidos) - Julie e Julia
Laurie Nunn (Inglaterra) - The Keepers
Laverne Cox (Estados Unidos) - A Call to Courage
Liz Garbus (Estados Unidos) - Ela Quer Tudo
Logan Browning (Estados Unidos) - Alguém Especial
Lynn Fainchtein (México) - 2001: Uma Odisseia no Espaço 
Marcela Benjumea (Colômbia) - Disque Amiga para Matar
Mercedes Morán (Argentina) - Aquarius
Mika Ninagawa (Japão) - O Império dos Sentidos
Millie Bobby Brown (Reino Unido) - Miss Americana
Mina El Hammani (Espanha) - ¿Qué coño está pasando?
Mindy Kaling (Estados Unidos) - Chewing Gum
Mira Lesmana (Indonésia) - ROMA
Mithila Palkar (Índia) - Hannah Gadsby’s Nanette
Nahnatchka Khan (Estados Unidos) - Jovens Adultos
Ngô Thanh Vân (Vietnã) - Mulher-Maravilha
Nosipho Dumisa (África do Sul) - Gravidade 
Pathy Dejesus (Brasil) - Criando Dion
Paulina Garcia (Chile) - Dois Dias, Uma Noite
Petra Costa (Brasil) - Feministas: O Que Elas Estavam Pensando? 
Salma Hayek (México) - Inacreditável
Sandi Tan (Singapura) - Boneca Russa
Shefali Shah (Índia) - Crimes em Déli
Sophia Loren (Itália) - The Crown
Yalitza Aparicio (México) - Virando a Mesa do Poder