Troco em Dobro | Crítica | Netflix

Troco em Dobro tem ação, comédia e uma pitada de realidade ao trazer a corrupção infiltrada na justiça.


Troco em Dobro é mais um filme para os assinantes do streaming, assistimos a convite da Netflix e falaremos sobre o longa que estreou dia 06/03 com 1h51m de duração.

A Netflix sempre traz uma lista grande de novidades, porém, nem todos os lançamentos satisfazem aos assinantes. Fiquem tranquilos, “Troco em Dobro” não estará na lista dos piores filmes, mas ao mesmo tempo não entra na lista dos melhores.


A trama


Spencer (Mark Wahlberg) é um ex-policial e ex-presidiário que acaba de cumprir sua pena de cinco anos de prisão após agredir o seu superior Boylan (Michael Gaston) devido a não tratativa de um caso policial.

Ao sair do presidiário Spencer está decidido a seguir uma nova vida como motorista de caminhão no Arizona e levar ao seu lado apenas a sua "namorada" Pérola, deixando para trás sua vida antiga, seu amigo Henry (Alan Arkin) e Cissy (Ilza Shlesinger) com quem se relacionava antes se ser preso.


Troco em Dobro | Crítica | Netflix


Porém, o que ele não esperava é que justo no dia em que saiu do presídio, durante a madrugada Boylan é encontrado morto e de primeiro momento ele acaba sendo considerado o principal suspeito. Mas Spencer acaba sendo desconsiderado após a mídia divulgar que o assassino foi um dos policiais da delegacia, tal esse era amigo de Spencer.


Ponto médio eletrizante


O filme consegue te prender nos acontecimentos e nas situações apresentadas, seja em suas cenas de ação ou nos picos de comédia que o longa apresenta.

"Troco em Dobro" segue uma cronologia degustativa com os fatos que acontecem no presente e com coisas que ocorreram no passado, e no final tudo acaba tendo ligação sem deixar nenhuma ponta solta. A história se desenvolve em um ritmo legal e mantém o equilíbrio de tudo o que é apresentado sem deixar o filme se tornar maçante em suas quase duas horas de duração.

Temos ação e picos de comédia que são apresentados na quantidade certa para não perder o foco do filme e dentre os dois gêneros apresentados aos atenciosos de plantão é possível pegar referência ao filme Falcão (protagonizado por Sylvester Stallone em 1987) quando Spencer decide seguir uma vida caminhoneiro e em uma cena do clímax do filme temos um clima deserto, um falcão aparece em destaque trazendo uma pitada de drama e logo surge um caminhão botando pra quebrar e também referências ao Batman (uma das cenas mais engraçadas).

Em certo momento Cissy ao analisar a situação diz que Spencer está agindo como o Batman levando para as loucuras o Hawk (Robin) e que Henry seria o Alfred.





Justiça X Corrupção


Spencer não consegue acreditar se seu amigo foi o assassino real de Boylan, então decide investigar o caso mesmo estando afastado da Polícia. O que ele não esperava é que a morte de Boylan está ligada à morte de Gloria Wiesnewski (Alexandra Vino) amiga que perdeu anos atrás, antes mesmo dele ser preso.

Sem pensar duas vezes, Spencer está cada mais envolvido com os ocorridos e a sua sede por justiça é grande. Com isso acaba envolvendo seu amigo Henry e o inquilino Hawk (Winston Duke), um ex-presidiário que está querendo se reerguer através do boxe.

Spencer (Wahlberg) é Hawk (Duke) é uma dupla que dá certo mesmo os personagens tendo suas diferenças, e no final o motivo pela busca de vingança acaba cruzando o caminho dos dois, eles conseguem te envolver nas cenas de ações e te fazem rir nos momentos engraçados que são apresentados em meio a tiro, porrada e "bomba".


Troco em Dobro | Crítica | Netflix


Os personagens conseguem ter uma conexão muito boa e passam com facilidade a ideia principal do filme. Mesmo em suas particularidades conseguimos entender que muitas pessoas são presas injustamente e na maioria das vezes essas prisões são feitas por policiais corruptos que apoiam serviços ilegais como forma de uma "renda extra" bem recheada, matando e informando quem for necessário para entrarem em grandes máfias.

Infelizmente na vida real nem todos que são presos injustamente seja policial ou não, muitos não consegue sair da prisão tão cedo e às vezes nem vivos, em muitos lugares a justiça não é feita da forma correta, não é mesmo?


Vale a pena?


Como informei no início, ele não entra para lista de melhores filmes, mas também não entra para os piores. Não sou muito fã do gênero "ação", mas ao final da sessão sai satisfeito com o resultado.

Já fui muitas vezes ao cinema assistir a filmes que me arrependi de ter pago cada centavo no ingresso, esse não seria um deles. Não temos algo extraordinário, mas temos um filme que entretém à sua maneira e consegue finalizar o que começa de forma eficaz.