Confira o trailer de 'Space Force' com Steve Carell


Espera, quem está no comando do quê?
Steve Carell, bem-vindo a Space Force. 29 de maio na Netflix.


Confira o trailer de 'Space Force' com Steve Carell



O general Mark R. Naird (Steve Carell) é um piloto condecorado que sonha em comandar a Força Aérea, mas é surpreendido pela notícia de que vai liderar a mais nova divisão das Forças Armadas dos EUA: a Força Espacial. Cético e dedicado, Mark arrasta sua família para uma base remota no Colorado. É lá que ele e uma equipe de cientistas e “astronautas” recebem da Casa Branca a missão urgente de pisar (de novo) na lua e dominar totalmente o espaço. Criada por Carell e Greg Daniels (The Office), Space Force é um novo tipo de comédia sobre o ambiente de trabalho, onde os riscos são altos, e as ambições ainda mais.

| Em vídeo, Chris Hemsworth revela bastidores de ação em Resgate



UMA BREVE HISTÓRIA SOBRE SPACE FORCE
COM OS CO-CRIADORES STEVE CARELL & GREG DANIELS


STEVE CARELL: Space Force surgiu de maneira atípica. Netflix tinha essa premissa que achava que poderia render um programa engraçado - a ideia fez todo mundo rir numa reunião - uma ideia de programa sobre a origem de uma Força Espacial fictícia. Primeiro, eu ouvi através do meu agente, a Netflix apresentou pra mim, e depois eu apresentei para o Greg, e todos nós tivemos a mesma reação. Não existia um programa, não havia uma ideia, além do título. Netflix perguntou: “você quer fazer uma série chamada Space Force?” E eu imediatamente disse: "Bem, sim, claro. Isso parece ótimo”. E então eu liguei para Greg e disse: "Ei, você quer fazer uma série chamada Space Force?” E ele disse: "Sim, isso parece bom. Vamos fazer”. E foi realmente baseado em nada, exceto neste nome que fez todo mundo rir.


Confira o trailer de 'Space Force' com Steve Carell


GREG DANIELS: Após a ligação, nós tivemos várias sessões criativas na casa de Steve, onde discutimos quem seria seu personagem, descrevendo-o, quais seriam as pressões sobre ele, e o que queríamos dizer sobre a noção de tornar o espaço mais militar. Nós percebemos que a história tinha visuais bonitos, qualidade mítica e ecoava alguns dos melhores momentos da América. Tinha muito heroísmo e também um forte elemento satírico. De repente, todo mundo percebeu que havia riquezas na lua, e tínhamos que reivindicá-las. Parece que agora existe uma disputa para colonizar o espaço. O contraste entre isso e os primórdios e esperançosos dias da NASA, quando levar uma pessoa à lua era uma conquista para toda a humanidade, é um bom assunto para sátira.