'Natalie Wood: Aquilo que Persiste', retrato íntimo do ícone de Holywood, estreia na HBO

'Natalie Wood: Aquilo que Persiste' estreia no dia 12 de maio, às 20h, na HBO e na HBO GO, e apresenta um retrato rico de uma das atrizes mais importantes de Hollywood. De diversas maneiras, a vida e a carreira de Natalie Wood foram ofuscadas por sua trágica morte aos 43 anos. Entretanto, até hoje, familiares e amigos, incluindo sua filha Natasha Gregson Wagner, não esquecem de sua vida notável e de seu legado.

| HBO ANUNCIA DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO DE MAIO

Em 'Natalie Wood: Aquilo que Persiste', Natasha Gregson Wagner – que é também a produtora do documentário - aborda a trajetória de sua mãe por meio de depoimentos de amigos, colegas de trabalho e familiares. Um dos entrevistados é Robert J. Wagner, que fala sobre a morte da esposa pela primeira vez diante das câmeras. Eles foram casados ​​por quatro anos, divorciaram-se, casaram-se com outras pessoas e tiveram filhos até se reconciliarem anos depois. Há também testemunhos dos atores Robert Redford e George Hamilton, que abordam seu profissionalismo, além da participação de Mia Farrow, que lembra que nada era mais importante para Natalie que seu papel como mãe.

Nascida em São Francisco e filha de imigrantes russos, Natalie Wood tinha cinco anos quando estreou no cinema com Orson Welles, em “Amanhã é Eterno”, e Maureen O'Hara, em "De Ilusão Também Se Vive". Ela foi indicada ao Oscar® três vezes antes de completar 25 anos por "Juventude Transviada", "Splendor in the Grass" e "O Preço de um Prazer", e impressionou o público com sua interpretação em "Amor, Sublime Amor".

'Natalie Wood: Aquilo que Persiste', retrato íntimo do ícone de Holywood, estreia na HBO

Dirigido pelo premiado cineasta Laurent Bouzereau, o documentário combina cenas de filmes de Natalie Wood com um valioso material de arquivo, que inclui fotos, diários, vídeos domésticos e áudios, alguns deles encontrados por sua filha no acervo da família. Tem ainda imagens inéditas do segundo casamento de Natalie com Wagner, assim como um artigo escrito por ela em 1966 para o Ladies’ Home Journal, e nunca publicado, no qual revela seus pensamentos mais íntimos sobre a fama, o amor e a família. Entrevistas da atriz ao longo dos anos mostram uma mulher inteligente e madura, que abraçou a maternidade e uma carreira em evolução permanente.

Tanto o Laurent Bouzereau quanto Natasha Gregson Wagner não evitaram as notícias que aparecem até hoje quando se fala em Natalie Wood e procuram esclarecer o que realmente aconteceu na noite em que ela morreu. NATALIE WOOD: AQUILO QUE PERSISTE apresenta uma análise instigante de sua carreira brilhante, de sua vida que sempre foi alvo do público e de sua morte trágica que até hoje ameaça sobrepor a sua memória.